Terapia da Dignidade 


Uma Psicoterapia de Intervenção Breve que foi desenvolvida desde a década de 90, no Canadá.

A sua aplicação cresceu em muitos domínios no sector da Saúde tem revelado resultados surpreendentes e inovadores. 

A Terapia da Dignidade revela importância fundamental para uma pessoa com doença incurável que pretenda iniciar a tomada de consciência do seu propósito de vida.

O propósito de vida orienta o passado e preconiza o presente.

O sofrimento psicológico causado pela terminalidade da vida pode causar um sofrimento existencial e físico de grande intensidade.

Estudada há mais de 20 anos pela Ciência, sabemos hoje que a Terapia da Dignidade, quando aplicada a pessoas com doença terminal, auxilia na diminuição deste sofrimento.

Eu sou Fernanda Barata, Certificada em Terapia da Dignidade pela Universidade de Manitoba & Cancer Care, no Canadá.

Aplico a Terapia da Dignidade em pessoas que desejam escrever os seus Legados 

Contacte-me hoje.

Vamos, calmamente, conversar sobre os aspectos que dignificaram a sua vida e como podemos preservá-la no futuro que virá. 


Palavras Finais para os Momentos Finais

Mais do que um Legado: a despedida tranquila.


A estrutura das questões da Terapia da Dignidade está cientificamente desenhada para explorar a informação que sublinha a importância dos temas continuidade do 'Eu', a preservação de papéis, a manutenção do orgulho, a esperança, o sentido de significado da existência humana ou o propósito da vida.


A Dignidade no Fim de Vida

Enquanto Terapeuta da Dignidade, o que faço durante o processo?


Para além de conduzir e capacitar a Terapia, tento impregnar a acção terapêutica com dignidade. 

Isto significa que os doentes se sentem aceites, valorizados e honrados. Esse facto minimiza a dor física, social, psicológica e espiritual.

Para as pessoas com doença incurável e progressiva, a Terapia da Dignidade é realizada em 3 ou 4 sessões, no máximo.

Depois da leitura das questões, o doente é orientado nas perguntas que lhe são colocadas. As respostas são gravadas em audio, transcritas e editadas.

É então entregue um Legado ao doente que, depois, entregará cópias aos seus entes queridos.